Veja como montar um cubo mágico

Embora seja um brinquedo antigo, o cubo mágico é ainda um desafio para muita gente que gosta de jogos de lógica. Inventado em Budapeste (Hungria) em 1974, o objeto também é chamado de cubo de Rubik por conta de seu inventor, um professor de Design chamado Erno Rubik (1944-).

O cubo mágico, na verdade, é um quebra-cabeça muito arrojado por conta de sua forma tridimensional. As combinações possíveis entre as peças podem parecer infinitas, mas não são: é possível formar 43 quintilhões de posições, sendo que apenas uma é a correta.

Parece até impossível montar um cubo mágico, mas saiba que existem várias técnicas para chegar à solução. Neste texto, vamos apresentar algumas dicas para que você possa, com o perdão do trocadilho, parar de quebrar a cabeça tentando resolver o cubo.

Tipos de cubo mágico

(Fonte: Pexels)Fonte:  Pexels 

O cubo mágico, como você já deve saber, é um brinquedo normalmente feito de plástico em que o desafio é conseguir agrupar as peças de mesma cor em cada um dos seis lados do cubo. Ele tem, portanto, 6 centros, 12 meios e 8 quinas, além de uma peça interna no núcleo.

A primeira coisa a se saber é que há tipos diferentes de cubo mágico. O mais comum é o de 3x3x3, um tamanho padrão que se refere ao número de faces. Há ainda as versões 2x2x2 (chamada de cubo de bolso), 4x4x4 (conhecida como “a vingança de Rubik”) e 5x5x5 (chamada de cubo do professor). Nas informações dadas neste tutorial, usaremos a versão mais popular, 3x3x3.

Primeiros passos

Para montar um cubo mágico 3x3x3, a primeira dica a ser memorizada é esta: lembre-se de que o centro nunca se move. A partir disso, tenha em mente que as peças girarão em torno do eixo de cada lado.

É importante saber que há milhares de técnicas para solucionar o enigma do cubo, por isso seria impossível abordarmos todas. Neste texto, falaremos apenas de uma, a que consideramos mais simples.

Para tentar decifrar o enigma, siga os passos abaixo.

1. Identifique os 3 tipos de peça

A lógica essencial a ser entendida para solucionar esse quebra-cabeça é: memorize o cubo pelas peças, e não pelas cores. Há três tipos de peça em um cubo mágico, de acordo com sua posição:

  • peças de centro: localizadas no centro do cubo e cercadas por outras oito peças. Têm apenas uma face visível. Importante: as quatro peças centrais do cubo (cada uma de uma cor) nunca se movem;
  • peças de canto: localizadas nos cantos do cubo, têm três faces visíveis;
  • peças de borda: estão entre as peças de canto e cada uma tem duas faces visíveis.
  • Lembre-se: nenhuma mudará de tipo; por exemplo, uma peça de borda nunca virará uma peça de canto e assim sucessivamente.

A partir disso, vamos começar a solucionar o cubo mágico.

2. Monte uma cruz

(Fonte: Wired)(Fonte: Wired)Fonte:  Wired 

O método mais fácil para tentar resolver o quebra-cabeça é partir do movimento da cruz. Você precisa encaixar em uma das facetas do cubo as peças no formato de cruz, conforme a imagem anterior. O centro, como você verá, estará em outra cor.

Digamos que a cor da cruz é branca com o centro amarelo.

3. Vire a cruz branca para a face de baixo do cubo, formando uma cruz completamente branca

Não há muito “método” aqui: forme a cruz de maneira meio aleatória mesmo. Não importa o que fizer, você não vai “estragar” a montagem, já que as outras camadas ainda não foram montadas.

Vamos tentar jogar a cruz para baixo. Como os blocos do centro são sempre fixos, a nova cruz terá o centro branco, necessariamente.

Para isso, é preciso que a face dos dois blocos centrais mais superiores da face lateral tenha a mesma cor. Para isso, gire a camada de cima (a da cruz de centro amarela) até que os blocos combinem nas faces laterais. Quando a cor da face de um bloco central combinar com a cor de uma face lateral, essa camada deverá ser virada para baixo, uma a uma. Você irá obter uma cruz branca completa na parte inferior.

4. Resolva a primeira camada

Procure as peças brancas na camada superior voltada por lados. Cada uma das peças brancas deve estar no canto, com três adesivos em volta. Gire a face superior do cubo para que a cor ao lado da peça branca voltado para fora coincida diagonalmente com a cor do centro. Depois de emparelhar, vire as peças da mesma cor em uma direção.

5. Resolva a camada intermediária

(Fonte: Rubiks Cube Solver)(Fonte: Rubiks Cube Solver)Fonte:  Rubiks Cube Solver 

Identifique as peças de borda na camada superior que não têm uma face amarela. Quando encontrar um canto sem cor amarela, gire a face superior do cubo até que essa peça voltada para fora esteja sobre o cubo. Quando combinar, encontre a cor voltada para cima na peça de borda.

6. Posicione os cantos e as bordas do cubo

Primeiro, você deverá tentar deixar os cantos no lugar correto, para então mover as peças das bordas, que são as últimas a serem organizadas.

Os benefícios do jogo

(Fonte: Pexels)(Fonte: Pexels)Fonte:  Pexels 

Pareceu muito difícil? Tudo bem, ninguém prometeu que resolver o cubo mágico seria uma tarefa fácil. O primeiro conselho para quem está querendo se dedicar a essa empreitada é tentar se familiarizar com o brinquedo, mexendo com ele sempre que possível.

Se quiser mais um incentivo, lá vai. Estudiosos de Matemática dizem que tentar resolver o cubo de Rubik é um exercício e tanto para o cérebro. Pode ajudar, inclusive, em outras áreas, aprimorando habilidades de interpretação e memória, potencializando a concentração e, é claro, melhorando a autoestima de quem consegue decifrar o enigma.

Leave a Comment