PS4: do pior ao melhor, segundo a crítica

Após a sétima geração de consoles, o padrão de qualidade subiu muito para todas as empresas disputando o topo das vendas. A Sony, que teve um ótimo resultado com o PS3, precisava apresentar um novo videogame que superasse as expectativas.

Foi então que em 2013 foi apresentado aquele que levaria o legado da marca para frente com todo o esplendor. Sejam bem-vindos à mais um episódio do Pior ao Melhor de consoles com o PS4. Aqui estão nossos critérios, prestem bastante atenção:

  • As notas apresentadas são baseadas no agregador de notas Metacritic.
  • Nós separamos os sete melhores e os sete piores jogos do videogame. Em caso de empates, nós usamos a nota dos usuários como desempate.

Vamos começar com os piores.

7) Dino Dini’s Kick Off Revival (2016) – 31

Começamos os piores com Dino Dini’s Kick Off Revival, lançado em 2016. Ele tinha como propósito ser a volta triunfante de um dos pioneiros dos jogos de futebol, trazendo a clássica câmera topdown mas com gráficos mais bonitos e uma jogabilidade mais trabalhada.

O problema é que mesmo não almejando enfrentar PES e FIFA pelo topo dos games de futebol, o título apresenta diversos problemas técnicos, alta dificuldade e falta de um tutorial, esse último sendo extremamente relevante por conta de sua gameplay minimamente complexa. Sua nota é 31.

6) Air Conflicts: Vietnam Ultimate Edition (2014) – 30

Em sexto lugar, temos Air Conflicts: Vietnam Ultimate Edition, lançado em 2014. Chegando ao PS4 um ano após aterrissar inicialmente no mercado e trazendo melhorias e uma campanha inédita, o game é de combate aéreo em que o jogador está no papel de um piloto da marinha estadunidense lutando pelos ideais de seu país, como em muitos filmes de ação patrióticos.

E, de repente, veio um antiaéreo e acabou com a diversão. As áreas de combate são minúsculas, o design das missões é repetitivo e os gráficos são simplesmente péssimos. Ele ficou com 30 de nota.

5) Ghostbusters (2016) – 30

Normalmente jogos baseados em filmes não são boa pedida e Ghostbusters, lançado em 2016, é mais uma prova disso. Sua história se passa após o longa que chegou aos cinemas no mesmo ano, mas foca em um grupo de personagens sem nome e sem importância. Nesse contexto, até quatro players se juntam para derrotar os inimigos.

Se não cheira bem, provavelmente está estragado e esse é o caso aqui. Ele é extremamente chato, desnecessariamente longo e cheio de personagens desinteressantes. Pra quem você vai ligar? Pra eles que não vão ser! Sua nota é 30.

4) The Quiet Man (2018) – 28

Em quarto lugar, temos The Quiet Man, lançado em 2018. O jogo mistura cutscenes mal atuadas em FMV, ou seja, com atores reais, enquanto a gameplay é um beat ‘em up genético, mal feito e repetitivo.

Não só isso, mas como o personagem principal é surdo, a desenvolvedora Human Head Studios decidiu fazer com que a maioria dos sons do game fossem abafados. A ideia não é ruim, mas o problema é que aqui é mal feito, atrapalha a experiência e o entendimento geral da trama. Os analistas descreveram ele como um desastre espetacular, miserável e uma perda de tempo e de dinheiro. Ele ficou com 28 de nota.

3) Basement Crawl (2014) – 27

Lançado em 2014, Basement Crawl ficou em terceiro lugar na nossa lista. O jogo é um título de ação estratégico em labirintos com gráficos 2.5D. A descrição parece meio complexa, mas ele tem uma pegada meio Bomberman, tanto que se foca no multiplayer, com suporte para até 8 jogadores online, mas traz uma campanha solo para os lobos solitários.

O suporte para uma mescla de multiplayer online e local é interessantes, mas sua jogabilidade é bem crua, há poucas opções disponíveis, ele é extremamente confuso e nada original. Tudo isso rendeu a ele 27 de nota.

2) Road Rage (2017) – 26

Levando a medalha de prata dos piores, temos Road Rage, lançado em 2017. Ele é um jogo de combate entre veículos que se passa na ficcional Ashen, um mundo aberto cheio de lugares para serem explorados, além de muitas corridas e confrontos para serem travados.

Ele é tão ruim que poderia ser uma paródia em vez de uma criação própria. Ele é quebrado, uma bagunça e tudo o que há de pior quando falamos em um videogame. Sua nota é 26.

1) Afro Samurai 2: Revenge of Kuma Volume One (2015) – 21

E chegamos ao fundo do poço com Afro Samurai 2: Revenge of Kuma Volume One, lançado em 2015. O jogo inspirado no anime de Takashi Okazaki acompanha Kuma, um espadachim que usa uma espécie de fantasia de urso na cabeça, em sua busca por vingança contra o Afro Samurai.

Normalmente nós falamos de jogos extremamente ruins aqui nesse quadro, mas esse consegue ser pior que a maioria. Ele possui constantes problemas técnicos, uma péssima atuação, regras ambíguas, objetificação de mulheres, combate desleixado e diálogos ofensivos. Eram planejados outros dois jogos, fechando uma trilogia, mas eles foram cancelados. Como se não bastasse, a própria desenvolvedora decidiu tirar ele da PlayStation Store e da Steam, plataformas em que estava disponível, e cancelou o lançamento para o Xbox One. Esse fez por merecer nossa querida medalha de coco, ficando com 21 de nota.

Agora vamos para os melhores.

7) Metal Gear Solid V: The Phantom Pain (2015) – 93

Em sétimo lugar, temos Metal Gear Solid V: The Phantom Pain, lançado em 2015. Ele se passa em 1984 e acompanha o mercenário Punished Snake, mais conhecido como Venom, que está em busca de vingança de pessoas que quase o mataram nos eventos retratados em Ground Zeroes, um prólogo standalone lançado no ano anterior.

Phantom Pain traz um mundo aberto enorme para se explorar como bem entender e diversos detalhes que trazem mais realismo ao título, cheio de coisas interessantes e até mesmo curiosos. Além das missões principais, há diversas secundárias para serem realizadas, um ciclo de dia e noite em tempo real junto de um sistema de clima dinâmico e uma liberdade narrativa bem grande.

O game teve um desenvolvimento no mínimo complicado, ocasionando na saída de Hideo Kojima da Konami meses antes de seu lançamento, sem finalizá-lo. Isso fez com que a empresa japonesa tirasse o nome do renomado diretor em tudo o que era possível sem gerar algum tipo de processinho.

Ele foi muito elogiado pela sua história complexa e intrigante, mundo aberto cheio de possibilidades, personagens cativantes, ótima jogabilidade stealth e por se encaixar perfeitamente na trama geral da franquia. Mas nem tudo é perfeito, já que ele tem alguns problemas de ritmo perto do final que podem deixar uma pulga atrás da orelha. Sua nota é 93.

6) Uncharted 4: A Thief’s End (2016) – 93

O quarto e possivelmente último capítulo da história de Nathan Drake ficou em sexto lugar na nossa lista. Uncharted 4: A Thief’s End, lançado em 2016, foi o primeiro jogo da Naughty Dog lançado para o PS4 e acompanha a dupla Nathan e Sully que estão em busca do tesouro do infame pirata Henry Avery, que foi calculado em torno de 400 milhões de dólares.

O jogo possui diversas diferenças em relação aos seus antecessores, apresentando um mundo muito maior e dando grande liberdade para o jogador explorá-lo. Isso se deu por conta da mudança na direção criativa, que ficou com Neil Druckman após o sucesso de The Last of Us, de 2013, e a saída de Amy Hennig, que estava no cargo desde o primeiro jogo da franquia.

O título foi aclamado pelos analistas que elogiaram a história e os gráficos, assim como a direção de arte e as cutscenes cinematográficas. A mudança de direção também foi sentida em outros aspectos, como diálogos mais naturais entre Nate e Sam e alguns dos momentos mais dramáticos da série. Ele ficou com 93 de nota.

5) God of War (2018) – 94

Em quinto lugar, outro jogo que se deu muito bem graças a uma mudança na direção. God of War, lançado em 2018, muda totalmente a fórmula da série ao sair do hack and slash e ir para uma aventura mais cinematográfica com alguns aspectos de RPG e muita exploração de mundo.

Sua história acompanha Kratos, junto de seu filho Atreus, que tem como objetivo jogar as cinzas de sua esposa do topo da montanha mais alta de Midgard. O problema é que os deuses da mitologia Nórdica vivem na região e descobrem a real identidade do homem que tinha o costume de caçar deuses na Grécia.

Como comentado anteriormente, o jogo não foi dirigido pela mesma pessoa encarregada pelo terceiro jogo da série mas sim por Cory Barlog, que já tinha trabalhado em quase todos os games protagonizados por Kratos até o momento.

A Santa Monica confiou na proposta e isso rendeu ótimos frutos, já que o jogo foi um completo e absoluto sucesso de crítica e de vendas. Entre os diversos elogios que ele recebeu, ressalto a incrível apresentação, a dinâmica de pai e filho nas cutscenes e nos combates, a escrita humanizada, o incrível elenco de personagens, o combate cheio de opções, os visuais lindos e as missões secundárias recompensadoras. Sua nota é 94.

4) Persona 5 Royal (2020) – 95

Persona 5 Royal, lançado em 2020, é uma versão melhorada de Persona 5, que chegou inicialmente ao console em 2016. Enquanto a história dos Phanton Thiefs se mantém a mesma, foram adicionados um novo membro para o grupo, nova área na cidade, novo palácio, novas músicas, um novo semestre, novos elementos sociais e suporte ao PS4 Pro.

Para quem não conhece, Persona 5 acompanha um estudante conhecido como Joker e seus amigos que frequentam a escola durante o dia e atuam como vigilantes secretos durante a noite, chamados de Phantom Thieves of Hearts. O game apresenta uma gameplay diversificada que envolve batalhas em turno e interações sociais.

Essa versão conseguiu se sair ainda melhor que a original, sendo elogiada pelo novo arco de história, pelas ótimas mecânicas de gameplay e pelas adições e melhorias, que tornaram a experiência ainda mais gratificante. Sua nota é 95.

3) The Last of Us Remastered (2014) – 95

Em 2014 foi lançado The Last of Us Remastered, uma versão melhorada do sucesso da Naughty Dog que chegou ao mercado inicialmente em 2013 exclusivamente para o PlayStation 3. Além da campanha do jogo original, aqui está incluída a DLC Standalone Left Behind, que conta a história de Ellie antes de encontrar Joel.

Outras novidades incluem o uso do touchpad para navegar pelo inventário, uso do led do Dualshock 4 para indicativos de vida, comentários de Neil Druckmann, Ashley Johnson e Troy Baker durante as cutscenes como extra, melhorias gráficas e mais quadros por segundo.

O game foi elogiado por sua incrível escrita, seu combate intenso, o ótimo ritmo, as melhorias visuais e a inclusão da DLC Left Behind e também de outras novidades. Sua nota é 95.

2) Grand Theft Auto V (2014) – 97

Levando a medalha de prata, temos Grand Theft Auto V, mais conhecido por nós como GTA V. Sua versão para a oitava geração de consoles chegou em 2014, trazendo a história de Franklin, Michael e Trevor como fomos apresentados em 2013, mas de uma forma ainda melhor.

O game recebeu diversas melhorias e adições como gráficos em 4K, iluminação melhorada em veículos, novas raças de cachorro e animais inéditos, novos efeitos de clima, novos colecionáveis, novas missões secundárias e um modo em primeira pessoa.

GTA V foi extremamente elogiado por seu roteiro e atuação, a incrível cidade de Los Santos, as missões de assalto eletrizantes, os visuais lindos e o ótimo modo em primeira pessoa, que muda bem a experiência do jogo. Sua nota é 97.

1) Red Dead Redemption 2 (2018) – 97

E em primeiro lugar, levando a medalha de ouro, temos Red Dead Redemption 2, lançado em 2018. Sua história se passa em 1899, antes dos eventos do primeiro jogo, acompanhando Arthur Morgan e a gangue Van der Linde que estão fugindo após um assalto que deu errado e colocou eles na mira das autoridades. Agora, eles buscam um novo lugar para se estabelecerem e continuarem realizando seus crimes mirabolantes.

Falar tudo o que se pode fazer em Red Dead 2 é uma tarefa quase impossível pela quantidade gigante de possibilidades disponíveis. O jogador pode realizar missões principais e secundárias, procurar fugitivos, caçar e pescar animais selvagens, ajudar pessoas, passear e correr a cavalo, nadar e jogar jogos de azar, tudo isso com uma bússola moral que é afetada pelas ações realizadas, podendo impactar em como os xerifes te veem e a quantidade de desconto que se consegue em lojas.

Como se não bastasse, ainda há um sistema de construção de base, se assim posso dizer, em que é possível comprar melhorias para o acampamento do grupo, o que trará mantimentos grátis e outras questões que ajudarão muito durante a aventura.

O título foi extremamente aclamado por público e crítica, sendo descrito como a experiência definitiva do velho oeste. Os elogios ficaram para a história incrível e bem escrita, a estrutura das missões, a mecânica de moral, os ótimos novos personagens e o mundo selvagem e rico que surpreende sempre que explorado. Sua nota é 97.

Leave a Comment