O que são cookies? Veja por que sites guardam dados sobre você

Famosos por estarem presentes em todas as páginas da internet, os cookies se tornaram ainda mais conhecidos pelos brasileiros após a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) entrar em vigor em 15 de fevereiro de 2020, obrigando os sites a informarem e solicitarem o consentimento no uso durante a navegação.

Apesar disso, muitas pessoas desconhecem o que são os cookies e quais são as principais funções a seu respeito. Por isso, preparamos um texto completo para você saber tudo sobre o assunto.

Confira!

O que são cookies?

Cookies estão presentes em todas as páginas acessadas. (Fonte: Unsplash/Reprodução)Fonte:  Unsplash 

Cookies podem ser definidos como um pequeno arquivo de computador que um site envia ao navegador de um usuário após ele acessar a página da internet. Com esse recurso, são captadas informações pessoais que podem ser utilizadas para diferentes utilidades.

Por exemplo, cookies de sessão são responsáveis por salvar informações dos internautas para facilitar a navegação pelo site, mas sem armazenar dados. Ao preencher um formulário, tendo que inserir nome, e-mail e endereço, os elementos são salvos e sugeridos em um próximo acesso, para agilizar o preenchimento das informações.

Em contrapartida, cookies permanentes são utilizados para salvar informações ligadas ao comportamento de uma pessoa na internet, como sites mais acessados, compras realizadas e termos mais buscados. São direcionados aos gestores do site para a criação de campanhas de marketing para o público-alvo da empresa.

Também existem cookies maliciosos, que estão se tornando cada vez mais comuns no mundo online e servem para acompanhar toda a atividade de um usuário na internet e construir um perfil de uso. Uma vez que ele tem informações suficientes sobre alguém, os dados são vendidos para diversas empresas sem o consentimento do internauta.

O que é a LGPD e o que mudou após seu surgimento?

A LGPD trouxe mais autonomia de escolha para o usuário quando se trata do uso de suas informações. (Unsplash/Reprodução)LGPD deu mais autonomia para o usuário quando se trata do uso de suas informações. (Fonte: Unsplash/Reprodução)Fonte:  Unsplash 

A LGPD entrou em vigor em 2020 como uma forma de reforçar a proteção dos dados de usuários da internet. É uma resposta ao frequente aumento de preocupação com a privacidade e com o uso de informações de uma pessoa sem que ela tenha conhecimento disso.

Em seu corpo, a LGPD indica uma série de requisitos a gestores de sites. Um dos mais importantes, que podem ser analisados pelos próprios internautas, é a necessidade de as páginas da internet solicitarem o consentimento do uso de cookies por todos aqueles que acessam o site.

Além disso, o termo deve ter informações claras e concretas sobre como os dados do usuário serão processados e utilizados. Caso a página faça o uso das informações de maneira não citada pelo termo, estará em desconformidade com a lei e poderá sofrer penalidades.

Outro dos requisitos citados é que o consentimento deve estar em um local de fácil visualização e que o usuário possa ter o direito de mudar de opinião a qualquer momento em relação ao uso de suas informações pessoais.

Caso deseje, você pode conferir o texto da LGPD na íntegra clicando aqui para obter ainda mais informações sobre seu funcionamento.

Devo aceitar os cookies durante a navegação?

O compartilhamento ou não das informações pessoais devem ser decididos por cada usuário. (Unsplash/Reprodução)Compartilhamento ou não das informações pessoais deve ser decidido pelo usuário. (Fonte: Unsplash/Reprodução)Fonte:  Unsplash 

Com a existência da LGPD, aceitar ou não os cookies durante a navegação em uma página da internet se tornou uma opção individual, que deve ser feita após a análise das informações presentes no termo de consentimento.

Assim, não existe uma resposta universal do que é melhor a se fazer. No entanto, como exposto neste texto, cookies maliciosos estão se tornando cada vez mais frequentes na internet.

Dessa forma, para aqueles que não se sentem seguros mesmo quando recusam o uso de cookies, pode ser interessante desativar o rastreamento com funções presentes em diversos navegadores. Apesar de não estarem disponíveis para todos, alguns dos mais populares contam com a função, como Google Chrome, Firefox e Safari.

Para ativar a funcionalidade, é preciso acessar as configurações do dispositivo e localizar a ferramenta. Normalmente, o próprio site das empresas responsáveis pelos softwares oferece tutoriais de como realizar o procedimento.

Além disso, é possível aumentar a segurança durante a navegação com o uso de programas que buscam essa finalidade, como antivírus e extensões — tanto em dispositivos móveis como em computadores.

Gostou do texto? Deixe seu comentário a seguir e fique ligado no TecMundo para não perder nem uma novidade sobre diversos temas!

Leave a Comment