Doença de Crohn: entenda o que é e quais são os sintomas

Doença de Crohn é uma síndrome que afeta o sistema digestivo. Seu sintoma mais característico é uma forte dor abdominal, mas também causa diarreia, febre, perda de peso e enfraquecimento do corpo.

Essa condição prejudica a capacidade de absorção de nutrientes ao afetar principalmente a parte inferior do intestino delgado e o cólon. O processo inflamatório é mais invasivo do que o de outros males, afetando tanto a mucosa quanto as camadas mais interiores da parede intestinal.

Dor abdominal é o sintoma mais característico da doença de Crohn. (Fonte: Pexels/Kindel)Fonte:  Pexels 

A doença de Crohn é crônica e sua causa é desconhecida. A ciência fornece hipóteses de que essa seja uma condição autoimune, provocada pela desregulação do sistema de defesa do organismo. Com isso, o corpo passa a enxergar o próprio organismo como uma ameaça.

Fatores genéticos, ambientais, dietéticos ou infecciosos podem estar relacionados com esse problema de saúde, e é mais provável que seu surgimento seja causado por influência de dois ou mais deles.

Tanto homens quanto mulheres estão susceptíveis, e é comum que indivíduos na mesma família, de parentesco próximo, manifestem a doença. A maior incidência é em pessoas entre 20 e 40 anos, aumentando em fumantes.

Sintomas

É uma doença inflamatória intestinal, assim como a colite ulcerativa. Não existem dados concretos desse tipo de moléstia no Brasil, mas estimativas norte-americanas apontam mais de 2 milhões de casos nos Estados Unidos.

Tudo pode começar com diarreias frequentes, inclusive com presença de sangue. Também é importante prestar atenção ao cheiro das fezes, que pode estar mais forte. Podem, ainda, surgir lesões na região anal. Dor abdominal, febre, perda de peso e enfraquecimento são os sintomas mais comuns da doença de Crohn. Com o tempo, o organismo pode ficar comprometido, levando ao surgimento de outras enfermidades.

Diagnóstico

Os principais sinais do agravamento do quadro clínico são dores articulares, aftas, feridas e nódulos na pele, inflamação nos olhos e até pedras nos rins e na vesícula. Ainda mais grave são os casos de obstrução e perfuração intestinal.

O diagnóstico dessa doença autoimune deve ser feito por um especialista, que vai levar em conta o histórico do paciente e deve solicitar exames, principalmente de sangue, que fornecem os primeiros indícios do mal.

A doença de Crohn tem muita similaridade com outros problemas intestinais, então, para ser identificada com precisão, são necessários exames complementares. Endoscopia digestiva, colonoscopia, raio X da região intestinal, tomografia e ressonância magnética são alguns deles.

Tratamento da doença de Crohn

Ainda não existe cura para essa síndrome. O tratamento é feito para o alívio dos sintomas e principalmente para garantir um bom funcionamento do sistema digestivo. Isso faz que o problema não evolua, evitando o agravamento do quadro.

Após identificar a gravidade (se leve, moderada ou grave), o profissional de medicina deve dar início a ações terapêuticas. Medicamentos como sulfasalazina e mesalazina são usados na maioria dos casos. Podem ser receitados também suplementos e dietas que visam corrigir as deficiências nutricionais que o paciente pode apresentar. Em caso de doença na fase aguda, pode ser necessário o uso de corticosteroides.

Em alguns casos da doença podem ser receitados medicamentos imunossupressores (Fonte: Unplash/freesctock)Em alguns casos da doença podem ser receitados medicamentos imunossupressores. (Fonte: Unsplash/freesctock)Fonte:  Unplash 

Também podem ser empregadas drogas imunossupressoras nos casos em que o organismo não responda ao primeiro tratamento. Medicamentos desse tipo induzem períodos de remissão, mas é necessário ter cautela no uso, pois podem ter efeitos colaterais graves. Algumas vezes também são feitas intervenções cirúrgicas, porém ocorrem na minoria dos casos, sendo necessárias, por exemplo, quando há obstrução intestinal grave ou perfuração do órgão.

Pacientes da doença de Crohn podem ter períodos de remissão espontânea, em que os sintomas tendem a desaparecer. Entretanto, no caso dessa moléstia, esse não é um sinal de cura, pois a síndrome pode reincidir.

Recomendações para pacientes

Quando entra em remissão, a maioria dos pacientes leva uma vida normal. Entretanto, algumas precauções são necessárias para auxiliar o tratamento e evitar a reincidência da doença. As recomendações são as mesmas para qualquer pessoa interessada em ter um estilo de vida mais saudável e incluem praticar atividade física e não fumar. Evitar o estresse cotidiano também é importante.

Pacientes do mal de Crohn devem dar especial atenção à alimentação, reduzindo a ingestão de gorduras e de alimentos ricos em fibra, além de manter o peso sob controle e fazer acompanhamento com nutricionista.

Pacientes da Doença de Crohn tevem ter uma alimentação saudável (Fonte: Unplash/ja ma)Pacientes da doença de Crohn devem ter alimentação saudável. (Fonte: Unsplash/ja ma)Fonte:  Unplash 

Especialmente na fase ativa da doença, embutidos, leite e derivados (como queijos amarelos, margarina e manteiga), açúcar, verduras folhosas e alguns temperos devem ser tirados do cardápio.

Casos longos da doença podem aumentar o risco de câncer, principalmente se houver comprometimento do cólon. Já tumores do intestino delgado são muitos mais raros; apesar do perigo, o número de casos é pequeno.

A doença de Crohn, ainda que não tenha cura, tem tratamentos que podem garantir qualidade de vida para os pacientes. Para isso, é importante a adoção de hábitos saudáveis e atenção aos sinais desse mal, para, em caso de suspeita, procurar imediatamente o auxílio médico.

Leave a Comment