Análise de Chorvs | Voxel

Se existe um verdadeiro nicho dentro do mundo dos videogames é o de apaixonados por jogos de combate espacial. Geralmente possuem uma temática complexa e que envolve um lado científico e futurista. Algo que nem todos os gamers estão dispostos a incorporar na sua lista.

Dentro dessas características, o jogo que mais me conquistou foi Elite Dangerous, lançado em 2015. O título é um verdadeiro simulador espacial, onde é necessário fazer diversas missões. Só que o game nunca foi convidativo para quem tinha interesse em entrar neste mundo.

Eu também cheguei a me divertir bastante com No Man’s Sky. Inclusive é uma boa dica para quem quer começar neste gênero. Hoje, o jogo possui praticamente tudo aquilo que foi prometido desde a sua chegada ao mercado.

Só que o assunto aqui vai girar mais no combate espacial. Chorvs é paixão logo de cara. Primeiro pelos gráficos limpos e bem feitos. Segundo pela sua jogabilidade fluída e precisa.

Você é Nara, uma das mais capacitadas a comandar uma nave espacial, contra tudo e contra todos. Criada por uma religião, chamada The Circle, que tenta dominar tudo o que existe, você resolve esquecer o passado, após participar de uma missão que destruiu o planeta Nimika Prime.

Decide que o melhor a ser feito é largar tudo o que a cerca. A desertora se transforma numa verdadeira mercenária, junto de sua nave, chamada Forsaken. Só que depois de quase uma década sabática, Nara resolve que é hora de destruir seu criador.

Ao longo das horas, você terá que cumprir diversas missões e quests secundárias, além de fortalecer Forsaken para que a batalha final seja realmente definitiva e a que salvará o universo.

Um verdadeiro piloto

Como dissemos acima, a primeira característica que chama a atenção em Chorvs é a facilidade que se tem ao controlar a nave. Por mais que possa parecer confuso para os mais inexperientes, os comandos fluem da melhor forma possível.

E olha que estamos falando de um jogo que utiliza joysticks normais. Geralmente, games que possuem aeronaves, sempre funcionam melhor com manches específicos. Este não é o caso de Chorvs. Ele foi feito para jogar no seu controle.

O trabalho feito pela desenvolvedora está acima do encontrado na maioria dos games. Um ponto de apoio para a minha tese fica para o combate espacial. Mesmo sabendo da dificuldade que é transformar um game desse tipo em algo prazeroso, a Fishlabs conseguiu superar as expectativas.

Por se tratar de um jogo de ação e muita perseguição espacial, era fundamental que tudo funcionasse da melhor forma possível.

Não existe atraso nos comandos e, com poucos minutos de voo, o jogador terá total controle da sua nave, sem muitas dificuldades para fazer os mais complexos movimentos.

Imersão

Quando falamos de jogos espaciais é fundamental que planetas e universos sejam congruentes com a realidade. Muitos jogos tiveram dificuldade em retratar isto, mas Chorvs possui uma excelente arte.

Uma pena que o mesmo não pode ser dito da trama, que acaba diminuindo o interesse pela personagem e tudo que envolve o seu contexto. Por mais que a roteiro tenha sido bem escrito, a personagem não tem carisma e a interação com sua nave não funciona da melhor forma possível.

A trilha sonora também é um outro destaque ruim, tirando qualquer possibilidade de fazer com que o jogador se sinta à vontade no espaço. Em compensação, os sons das naves, dos tiros e explosões agradam bastante.

Outro ponto que poderia ajudar em muito no sucesso do jogo é o que se diz respeito às missões. Geralmente você precisa achar itens perdidos, ajudar na escolta de cargas ou destruir piratas espaciais.

Por mais que o universo esteja bem retratado, em pouco tempo as quests principais e secundárias tornam-se repetitivas, fazendo com que grande parte da diversão vá embora.

Elementos de RPG

O que sustenta grande parte da aventura é a interatividade que existe entre Nara e Forsaken. Sua nave pode ser melhorada ao longo das missões, fazendo com que ela se torne mais forte.

Além de receber moedas para comprar os itens, ao longo das quests, muitas peças poderão ser desbloqueadas. Vale ressaltar que algumas opções acabam sendo liberadas ao se cumprir algumas ações no jogo.

Estes quesitos foram pouco explorados em outros títulos e pode ser uma porta de entrada para futuros games deste gênero. Quem sabe a experiência de novos jogos possa melhorar ainda mais?

Vale ressaltar que diversos aspectos da nave podem ser melhorados, desde sua armadura, até os canhões de combate. Não chega a ser tão simples assim, com algumas nuances interessantes e que influenciam totalmente na hora da jogatina.

Vale a pena?

Chorvs é um verdadeiro oásis no deserto. Em um mercado cada vez mais competitivo, temos que agradecer lançamentos como este. Jogos voltados para gêneros específicos são cada vez mais raros, por isso temos que valorizá-los ainda mais.

Independentemente disso, o título possui pontos que podem ser melhorados, como imersão e história. Possui uma jogabilidade intensa e combates espaciais divertidos, o que vai agradar em cheio quem busca uma boa ação.

Chorvs foi cedido gentilmente pela Deep Silver para realização desta análise

Leave a Comment